quarta-feira, 18 de julho de 2012

(ESPAÇO DO COLABORADOR) Segredo e Paixão

Lucas Gomes Garcia (curso de psicologia FAFIRE)

Às vezes ao começar um texto ou um poema sinto certo vazio, uma certa falta de criatividade ou até mesmo de inspiração, mas há momentos em que as palavras simplesmente passam para o papel ou, no referente caso, para o computador de maneira fluida e graciosa, moldando o texto de acordo com os meus pensamentos. Refiro-me a isto porque estava a algumas semanas conversando com meu professor de psicologia, Joaquim Cesário de Mello, sobre um texto que estava produzindo para falar sobre minha experiência ao ler Bukowski, um autor que veio a me impressionar de maneira bem positiva com seu texto descontraído de palavras fortes, porem simples; mas durante a conversa eu comentei que tinha visto novamente, após alguns anos, o grande filme argentino, “O segredo dos seus olhos” e que tinha percebido como era importante rever alguns filmes para compreendê-los melhor e passar por uma nova experiência extremamente diferente à primeira. Com simplicidade, Joaquim me recomenda produzir um texto sobre o tema e explica o meu sentimento de uma nova experiência ao explicar que é comum ser tomado pela emoção na primeira vez que se tem contato com o filme e na segunda vez analisa-lo melhor. Pois bem, a partir de esta conversa e minha admiração por este maravilhoso filme, me dispus a escrever um texto que fluiu de maneira clara e agradável.
Todos, alguma vez na vida, já escutamos que os olhos são a janela da alma, caso eles sejam ou não, eu venho a concordar com o filme, que mostra que se os olhos não são a janela da alma, pelo menos guardam um grande segredo. Tomo a liberdade de usar as palavras de Joaquim ao dizer que vi o filme através de outros olhos, e que agora eu entendo de fato uma das grandes mensagens que o filme traz, a paixão.
Primeiramente temos que separar a paixão do amor, e entender que são completamente diferentes, entender que a paixão pode ser muito mais destrutiva e imatura do que o amor, mas também mais breve e passageira. O que o filme por sua vez levanta, é que a paixão por algo é invariável, ela não muda, ela é incontrolável, ela é inconsequente. Mostra como a paixão pode se sobrepor a tudo, mesmo que nos prejudiquemos; tomaremos a decisão sempre a favor da paixão.
Trecho do filme:
Escribano: Una pasión es una pasión.
Sandoval: ¿Te das cuenta Benjamín? El tipo puede cambiar de todo: de cara, de casa, de familia, de novia, de religión, de Dios... pero hay una cosa que no puede cambiar, Benjamín... no puede cambiar... de pasión.”
Tradução:
Escribano: Uma paixão é uma paixão.
Sandoval: Você percebe Benjamín?
O cara pode mudar tudo, a cara, a casa, a família, a noiva, a religião, Deus... mas tem uma coisa que ele não pode mudar Benjamín... ele não pode mudar... a paixão.”
O filme mostra como todos nos movemos através da paixão, como todo objetivo esta ligado e norteado a partir do desejo que a paixão causa dentro das pessoas. Mostra a paixão de um amante, a paixão por um esporte, a paixão por um objeto, a paixão por um objetivo, até mesmo a paixão por um olhar, por um segredo. Por outro lado, vejo a paixão como algo de grande intensidade, entretanto, passageira. Talvez a paixão na qual o filme se refere seja uma obsessão, uma forma diferente, um estado em que deixou de ser paixão e passou a ser algum tipo de patologia, no entanto, quem sabe a paixão por si só quando estabelecida não é a própria patologia? Quem sabe os olhos não sejam a janela da alma e sim a transparência da paixão? Quem sabe a paixão não seja a própria alma?

3 comentários:

Cayo C. disse...

www.flickr.com/photos/cayoc/5339163428/

"Se o olho é a janela da alma, então você tem que olhar por essa janela com outro olho e esse olho também é janela da alma, e você tem que olhar por essa janela com outro olho. Quer dizer, a janela não olha, quem olha é o olho através da janela. Num certo sentido esta é uma metáfora complicada que leva a um tipo de coisa que não resolve o problema real de explicar o que é a visão, porque você vai ao infinito com essa história de Janela da alma e nunca chega na verdade à própria alma."

Antonio Cicero no doc. "Janela da Alma".


Indico bastante.

Andreza Crispim disse...

Gostei bastante do texto e também adoro o filme. El secreto de sus ojos é um obra que pode levar a variadas discussões de diversos assuntos. Ter ressaltado a paixão é bastante relevante e pensando no final do filme fico questionando a "paixão" do homem pela comunicação, pela palavra.

Parabéns, hombre. ;D

Andreza (galega) disse...

Ótima reflexão!
Muito bom texto Lucas!
;-)